Fotografias


Eu e o salto do rio Preto; placa na entrada de Alto Paraso; eu e Chris em Pirenópolis; noitada sertaneja em Goiânia (da esquerda: Lupa, Cacá, Flávio, Chris e eu).

Tinha prometido três dias, mas foi impossível cumprir o previsto desde o último post. Na cidade que escolhi para ter acesso à chapada, Alto Paraíso de Goiás, não existe lan house ou nada do gênero. É uma cidadezinha de 7000 habitantes. Grande parte destes são naturebas, hippies ou gente ligada ao misticismo. Para que internet se a comunicação é extra-sensorial, né não?

Quanto ao passeio na Chapada, foram três dias de caminhadas pelo parque e pelas fazendas da região. Requisitamos os serviços de uma guia (Luisimar, excelente. Quando for é só procurar por ela no setor de orientação ao turista) e demos início à nossa aventura. Que lugares fantásticos. Em três dias visitamos 15 cachoeiras diferentes. O bom é que faltam ainda 285 para serem vistas em outra oportunidade.

Depois dos dias de caminhada, voltamos para Goiânia para passar mais um final de semana abusando da hospitalidade dos amigos gente boa, Lupa e Cacá. Amigos, obrigado mesmo pela acolhida!

Depois de tudo, vou ser obrigado a trabalhar um pouco. O bom é que só assim atualizo o blog com freqüência.

Anúncios

Não basta construir escolas. Um dos gargalos que impedem a erradicação da pobreza é a educação de péssima qualidade.

A escola da foto é dedicada a alfabetização de crianças em Benin, ex-colônia francesa da África Setentrional. Só para constar: o país tem 55% da sua população masculina analfabeta. Entre as mulheres o quadro é pior, 74% não sabem ler ou escrever.

O Índice de Desenvolvimento Humano em Benin é de 0,421 (é o 160º do ranking) . Para efeitos de comparação: a Noruega, a primeira colocada do ranking, tem IDH de 0,963. O Brasil é o 65º lugar com IDH de 0,792.

benin.jpg

corporal02.jpg

Um colégio norte-americano de 1925.

A uniformização do comportamento era algo treinado com rigor nas escolas.

Professora e seus alunos

Gosto muito de fotografias antigas de escolas. Elas nos dão bons subsídios para compreender como funcionava a educação em outras épocas.

A foto acima estava no site da Unesc. Ela mostra uma característica de tempos idos (o site não informa o ano). Muita vezes estudantes de várias idades estudavam com a mesma professora, na mesma classe, ao mesmo tempo.

Isto acontecia por conta da carência de professores, sobretudo fora dos grandes centros.

Aliás, apesar de suavizado, o problema da falta de professores ainda é grave. Sobretudo nas regiões mais carentes do país.

 Eu acho que vi um gatinho na base da árvore.

Tiny-by-comparison cat chases black bear way up tree in back yard.

A história deste pobre urso, que é verídica, você encontra aqui. (em inglês)