Mal o temporal começou aqui no Rio e um fulano apressou-se em dizer— “Olha o que aquecimento global está fazendo…”. Espere um pouco seu fulano, aquecimento global? Estas chuvas caem por aqui desde sempre. Eu mesmo já nadei — e quase me afoguei — algumas vezes nas enchentes causadas por elas aqui na minha cidade. Uma coisa é aquecimento global, outra, bem diferente, é o descaso local.

Quem mora no RJ tem sempre uma história de chuva. Moro em Niterói e tenho várias, afinal todos os anos os habitantes desta terra esperam ansiosos pela temporada de enchentes. Ansiosos para ver se você vai ficar ilhado em algum lugar, se seu carro vai ficar alagado, se a encosta vai deslizar. Estas coisas próprias da estação das chuvas. Aqui em Niterói um dos alagamentos mais famosos e antigos é o da região do Estádio Caio Martins. Todo mundo que mora por aqui já sabe — choveu, encheu.

Eu já teve o prazer de ficar parado ali algumas vezes. Já tentei passar, quando tinha uns dez anos e quase me afoguei. Meu carro já boiou na enchente. Este alagamento é tão antigo, que vou fazer uma proposta para a prefeitura decretá-lo patrimônio histórico da cidade. Poderia até fazer parte do roteiro turístico e do calendário de eventos. Imagine a propaganda. “Você poderá vislumbrar no local o espetáculo das águas e a maravilhosa luta do ser humano frente a força da mãe natureza”.

Neste momento começa um novo temporal. O que vai acontecer na cidade? Já sabemos há muitos anos. Enchentes, alagamentos, mortes. Nada disto tem haver com aquecimento global e sim com a falta de ações competentes dos governantes em resolver o problema do impacto das chuvas na cidade.