Fevereiro 2007


cleo.jpg           

Betty é uma menina feia, com óculos de aros grossos e aparelho nos dentes que, sofrendo todo tipo de  aversão masculina à sua falta de formosura, conseguiu subir na vida graças ao seu intelecto. A personagem e sua novela se tornaram um grande sucesso na Colômbia, seu país de origem.  Transmitida pela Rede TV (versão colombiana) e pelo Sbt (versão mexicana), a novela repetiu no Brasil a enorme audiência. No ano passado, a história chegou aos EUA. O seriado baseado na história da feiosa acaba de  ganhar de dois Globos de Ouro, incluindo o de melhor série do ano.

Seguindo a trilha deste clamor pelas desprovidas de beleza, pesquisadores de Londres  chegaram à conclusão que Cleópatra, a rainha do Egito, também era feia. O estudo joga por terra um mito milenar. O principal atributo de Cleópatra não era sua beleza, mas sim  sua inteligência e astúcia.

A principal prova de que Cleópatra era feia está em uma moeda de prata do ano 32 a. C (foto acima). Nela, a efígie da rainha é muito diferente da aparência imaginada por escultores, pintores, cineastas e escritores por séculos. O queixo pontudo, nariz adunco,  pescoço grosso e a testa estreita não deixam dúvidas. Marco Antônio e Júlio César, triúnviros romanos, apaixonaram-se por um verdadeiro espanta-neném.

_________________________

_ Para mais da história de Cleópatra, clique aqui. 

_ Para mais informações sobre o novo estudo sobre a aparência de Cleópatra, clique aqui.

_ Para mais informações sobre “Betty, a feia”, clique aqui.

***Eu já ia me esquecendo. Bom carnaval!***

Anúncios

vioencia.jpg

“A TV informa: “A taxa de homicídios cresceu 46% este ano.

– Iraque?

– Não, Indianápolis.”

Poderia ser o Rio. Ainda bem que não temos estes problemas, não é mesmo?

Ontem, defendi que o Brasil não precisa de mais leis. Precisa cumprir o que já existe. Assistindo ao telejornal vi um exemplo cristalino desta situação. A cidade de Itabira (MG) resolveu radicalizar no combate ao alcoolismo juvenil. Lá surgiu uma lei proibindo a criação de estabelecimentos comerciais que vendam bebidas alcoólicas a menos de 100 m de escolas.

A medida é uma piada. O estudante pinguço que se embebeda a 100 m, pode manguaçar a 200, 300 ou até 1 Km da escola. Pode ainda tomar um porre em casa – o  caso mais comum de adolescente alcoolizado – e não ir à aula. Além de risível a lei é inútil. O Estatuto da Criança e do Adolescente, no artigo 243, tipifica claramente como crime quem vende bebida alcoólica para menores.

É lei para aparecer no telejornal, vender revista, o vereador poder dizer alguma coisa nas eleições; e por aí vai.

_________________________________

_ Para a lei aprovada na Câmara Municipal de Itabira, clique aqui.

_ Para a íntegra do Estatuto da Criança e do Adolescente, clique aqui.

O enredo é bem conhecido. Um crime bárbaro tira a vida de uma vítima inocente. Parentes revoltados. Governantes tentam justificar os votos que tiveram. A imprensa faz a festa: capitaliza, explora ao máximo o incidente. População assiste a tudo escandalizada.

Nestes momentos uma solução antiga é sempre posta à mesa: legislar. Tudo entrará nos eixos se tinta e papel forem gastos para escrever alguma nova regra para descumprirmos. A lei, só ela, é capaz de dar paz aos nossos corações. Mesmo sem ser aplicada.

É exatamente o que ocorre agora. Discute-se arduamente diminuição da maioridade penal, esquecendo-se que lei para valer tem que ser levada a sério. Os especialistas em segurança alertam que apenas uma pequena parte dos homicídios são solucionados e punidos. O problema então não é de legislação e sim de punição aos criminosos.

Pense bem, caro leitor. A menos que você seja um raríssmo espécime de cidadão exemplar, provavelmente deve cometer alguma pequena infração. Compra CD pirata, fura o sinal vermelho, excede o limite de velocidade, usa carterinha falsa para entrar no cinema, etc. As penas previstas em lei para estas infrações são terríveis. Multa pesada e até prisão. Como nunca ouvimos falar de ninguém punido por estas práticas, mantemos nossas contravenções cotidianas.

A ocasião faz o ladrão.

Pra quem é como eu, um folião feliz, vão aí dicas dos melhores carnavais do Brasil. Não participei de todos, mas todo mundo precisa de um objetivo na vida. Não é mesmo?

O site Guia da Semana listou 24 diferentes possibilidades de carnaval em 16 cidades do Brasil. Se você gosta de folia e não decidiu seu destino, clique no link abaixo, coloque sua fantasia e vá á guerra (de confete, é claro!)

Ah, já ia esquecendo. Em algumas cidades o carnaval já começou. O guia também traz as dicas.

Carnaval 2007 – Guia da Folia

Uma aluna de 15 anos da cidade de Goerlitz, na Alemanha, foi condenada a duas semanas de prisão. Ela insistentemente cabulava às aulas, por isto sua família foi condenada a pagar uma multa. Os pais da moça não aceitaram. O tribunal distrital resolveu então punir a estudante através de serviços comunitários. A moçoila se recusou a cumprir a determinação judicial, sendo assim condenada à cadeia.

Ela deve comparecer a uma prisão nos próximos dois meses para cumprir sua pena.

Se a moda pegar no Brasil, vai faltar cadeia!

 

Al Gore foi vice-presidente dos EUA durante as duas adminstrações de Bill Clinton. Ficou marcado por ter perdido a conturbadíssima eleição para a Casa Branca em 2000 para George W. Bush, mesmo tendo mais votos que seu oponente. Além de político ele é um ferrenho ativista ecológico e  estrela o documentário “Uma verdade incoveniente”, sobre o aquecimento global.

O documentário é uma adaptação para a telona da palestra apresentada por Al Gore em várias cidades do mundo. Nela o ex-vice-presidente aprensenta dados contundentes acerca do efeito estufa e da nossa culpa pela emissão desordenada de gases na atmosfera. Em linguagem muito simples e acessível, as conseqüências nefastas do aquecimento global são relatadas e as possíveis soluções para a crise são sugeridas.

O filme também se presta a mostrar outros lados de seu apresentador, revelando, em meio à série de dados e fotos enfocando o clima na Terra, fatos de sua vida familiar e de sua trajetória política.

É um filme necessário. Deve-se ver, comentar e discutir exaustivamente com todos os que partilham esta casa, este nosso planeta.

_________________________________________

 _ Para o site oficial do filme (em inglês), clique aqui.

Página seguinte »