Meu primeiro filme foi Os Intocáveis. Claro que já tinha visto muitos outros antes deste. Mas foi o que marcou a minha passagem do cinema infanto-juvenil para filmes de maior fôlego. Até hoje quando passa uma reprise, não perco.

O diretor de Os intocáveis, Brian de Palma,  acaba de lançar Dália Negra. Ele é fissurado em filmes noir (filmes de suspense da década de 40 e 50), por isto dirigiu esta estória que passeia pelo gênero. Uma forma de homenagem. Eu, que sou fissurado na saga de Eliot Ness, entendo perfeitamente. No entanto não sei se Dália Negra agradará quem não está familiarizado com o clima dos filmes noir. É lento, com enredo confuso e cheio de personagens nem sempre necessários.

Mesmo assim não é dos piores. É bem melhor, por exemplo, que a homenagem de Peter Jackson a King Kong.

Anúncios